Frequência de público no cinema aumentou

O brasileiro tem ido mais ao cinema. Ponto. Esse é um fato que é constatado ano após ano com os balanços de frequências nas salas espalhadas por todo o País. A situação vai à contramão do que muitas pessoas imaginam, de que o cinema seja prejudicado pelo advento tecnológico, streaming e internet colaborando para a facilidade de acesso aos grandes filmes.

goal

Afirmamos isso com base em nossa experiência e feedback de nossos clientes que anunciam suas marcas na telona, mas também em números palpáveis. A Agência Nacional do Cinema (Ancine) divulgou no ano passado uma pesquisa que apontava que a frequência do brasileiro nos cinemas aumentou 11,1% se compararmos com os anos anteriores.

Outro ponto abordado por esse mesmo levantamento aponta para a rentabilidade da bilheteria, que subiu nada menos que 20,1% se olharmos em comparação com os anos de 2015 ou 2014. A renda gerada pelos brasileiros que foram ao cinema nesse período foi de R$ 2.35 bilhões. Toda essa movimentação coincide com uma crença da Unid, de que só há crise para aqueles que não veem oportunidade.

Se todo o noticiário aponta para a crise econômica em nosso País, e sentimos na pele e no bolso muitas vezes respingos desse momento, analisamos a situação para a área de cinema como positiva pelo seguinte motivo: as pessoas não deixam de curtir um momento de lazer. É totalmente possível que não haja excessos na hora de aproveitar uma atividade fora de casa, mas em momento algum elas deixam de sair.

newspopcorn

O cinema vem com grande potencial para atender a essa demanda, uma vez que oferece programação variada, preço justo e acessível, além de uma experiência cultural para os espectadores.

Cinema nacional

donaherminia

A boa onda não deixou de lado o Cinema Nacional, que nunca antes foi tão favorável. O crescimento nessa área teve um boom nas vendas das bilheterias e desenvolvimento da criação. Os números levantados também pela Ancine mostram que em 2016 foram 143 filmes lançados, totalizando 97 obras de ficção criadas.

A expansão também foi constatada no aumento de salas pelo Brasil, como a instalação de um cinema em 21 novas cidades brasileiras que não tinham antes acesso ao cinema. O último ano foi encerrado com 3.168 salas funcionando, número este superior ao dos últimos cinco anos. Outro ponto que vale destacar é que 80% das salas foram abertas no interior. A maior expansão ficou com as regiões Nordeste (10%) e Centro-Oeste (7%).

happy2

A digitalização dos parques exibidores é apontada como principal fator para fomentar esse segmento, ajudando a alavancar bilheteria e participação de pequenos cinemas.

Se os ventos são bons para o cinema em geral, por que não aproveitar essa oportunidade para também alavancar sua marca com o potencial das grandes salas? O retorno, nós sabemos bem, pode te surpreender! Isso porque uma das principais vantagens de anunciar no cinema é a garantia de fixação da sua marca – falamos sobre isso aqui. Se interessou? Nós da Unid estamos à disposição para te ajudar nessa missão.